fbpx

10 Dicas para desenvolver inteligência emocional

Quer saber como desenvolver inteligência emocional?

Nós selecionamos as 10 dicas mais importantes para quem busca desenvolver seu quociente emocional. Este conteúdo vem de todo o nosso aprendizado promovendo aumento de inteligência emocional através de cursos online. Atente-se não só às dicas mas também aos EXEMPLOS dados em cada seção. Eles contém muitas dicas de como esse processo funciona na prática e o que pode ser feito para aumentar sua inteligência emocional. Temos dicas de Autoestima, Consciência Emocional. Senso de propósito, relacionamentos e muitos outros!

Vamos lá então. Começando com…

1 – Teoria é diferente de prática

Quando se trata de Inteligência Emocional, uma pessoa pode saber tudo sobre como as emoções se formam no cérebro e ainda assim, não ter consciência das próprias emoções. Reter conhecimento teórico sobre I.E. e suas habilidades desperta reflexões sobre a importância mas o conhecimento por si só NÃO confere nenhum aumento de habilidade.Igual a um músculo, os hábitos que formam as competências da Inteligência emocional só podem ser desenvolvidos com prática e repetições que os fortaleçam.

Exemplo:Autoestima

Alguém que esteja querendo desenvolver autoestima pode ler 10 livros sobre o assunto e dominar várias abordagens sobre o que é a autoestima e como ela se desenvolve desde a infância até a vida adulta. Após ler esses livros, a pessoa terá acumulado conhecimento e inspiração mas se não mudar seus comportamentos, continuará com a mesma autoestima que tinha quando começou a ler.

2 – A inteligência emocional é composta por hábitos mentais

Bons hábitos são construídos com repetição, quer seja ela consciente ou não. Boa parte de algumas habilidades da inteligência emocional como autoestima, flexibilidade resiliência dependem fortemente de se aprender a ter bons hábitos mentais.

Exemplo: Autoestima (II)

Para desenvolver autoestima, é necessário trabalhar para eliminar o hábito de se “autocriticar” em demasia. Para desenvolver flexibilidade, conseguir tirar o foco do que já aconteceu e conseguir focar no que ainda pode ser modificado e para resiliência, conseguir enxergar um panorama positivo mesmo diante de adversidade.

3 – Uma habilidade reforça a outra

A inteligência emocional é composta por várias habilidades e é sabido que elas contribuem umas com as outras.

Exemplo: Consciência Emocional

Quem tem alta consciência emocional (conseguir identificar suas próprias emoções) tem mais facilidade para desenvolver empatia (identificar e apreciar as emoções alheias). As vezes o que barra o desenvolvimento da inteligência emocional é a falta de equilíbrio entre todas as competências que a compõe.

4 – Saber como criar bons pensamentos é o que dá fôlego para o desenvolvimento

Conseguir “virar a chave” emocional é ser capaz de interromper um fluxo negativo de pensamentos e emoções e substituí-lo por pensamentos e emoções positivas ou pelo menos construtivas. Quem está tentando desenvolver uma das habilidades da Inteligência emocional, poderá enfrentar dificuldades já que, treinar uma habilidade nova muitas vezes consome energia mental e força de vontade. Assim, quando o desenvolvimento dá uma estagnada ou há uma recaída, a habilidade de criar bons pensamentos é fundamental para conseguir se acalmar e seguir em frente sem traumas.

Exemplo: Relacionamentos interpessoais

A habilidade em relacionamentos interpessoais é dividida em: Criar, manter e restaurar. Uma pessoa desenvolvendo esta habilidade pode por exemplo fazer um esforço extra para se conectar com mais pessoas e aumentar sua rede de contatos. Eventualmente, pelo fato de se expor mais, também estará sujeito a algum evento de rejeição. Se sua habilidade de criar bons pensamentos não funcionar é muito fácil a pessoa se desmotivar e desistir de mudar seu comportamento

5 – Comece com as habilidades de força interior

4 são as habilidades de força interior: Consciência Emocional, Autoestima, Senso de Propósito e Independência emocional. E recomendo que elas seja desenvolvidas nessa ordem.

Exemplo: Como estão relacionadas as 4 habilidades de força interior

Conhecendo e reconhecendo suas emoções (consciência emocional), fica mais fácil lidar e aceitar a si mesmo ( autoestima). Com o reconhecimento das emoções e tendo autoestima, a busca por uma vida com mais propósito fica mais natural e fluida. E claro, com consciência das emoções, autoestima e sabendo o que se quer alcançar, fica mais fácil libertar-se da dependência de julgamentos e influência alheias (independência emocional)

6 – Procure pessoas que são referência.

Em uma série de posts nas redes sociais nós divulgamos personagens de cinema que simbolizam as habilidades da inteligência emocional. Fizemos isso porque quando você tem uma pessoa (ou mesmo um personagem) em quem se inspirar, fica mais fácil projetar os comportamentos e pensamentos necessários para desenvolver inteligência emocional.

Exemplo: Senso de propósito

Para ajudar a referenciar o que é alguém com senso de propósito, pense no coyote que persegue o papa léguas. Ele está tão certo do que quer e precisa que nem os obstáculos e falhas em seu caminho o desencorajam. Ache uma pessoa que possa ser um norte pra você em termos de inteligência emocional e inspire-se nela para continuar se desenvolvendo.

7 – Você precisa de apoio

Você precisa de feedback regular para saber se está melhorando e muitas vezes isso fica mais fácil com alguém te apoiando. E não precisa ser nenhum coach para isso. Basta que seja uma pessoa de confiança e que consiga ser transparente e honesto com você.

Exemplo: Autoestima (III)

Digamos que você esteja buscando aumentar a autoestima e definiu que vai diminuir as vezes em que fala mal de si mesmo quando algo dá errado. Avise a uma pessoa do seu círculo de convivência que você está fazendo este esforço e peça para que ela te observe com atenção nesse aspecto e fique atenta para ver se você está conseguindo evoluir. Baseado nas respostas que você recebe, pode saber se sua estratégia está funcionando ou não

8 – Use um diário

Pode ser escrito em um caderno ou digitado em um celular. O importante é você registrar como se sente e o que fez em cada dia. Você notará que, a sua própria forma de se expressar, as coisas nas quais coloca foco e a precisão do que escreve são ótimos fatores a avaliar para saber se você está no caminho certo.

Exemplo: Consciência emocional (II)

Suponha que você está desenvolvendo consciência emocional. Uma boa forma de avaliar se está tendo bons progressos é avaliar depois de algumas semanas se a forma com que você descreve suas emoções está se tornando melhor. Por exemplo, conseguindo identificar mais emoções, sendo mais detalhista ao descrevê-las ou usando um vocabulário emocional mais amplo e preciso. O seu diário tem que ser escrito da mesma maneira com que você fala. Assim a naturalidade do seu registro estará preservada.

9 – Não meça as suas falhas, meça suas tentativas.

Um erro comum e que causa dificuldade e desistência é confundir uma falha pontual com uma falha sistêmica no seu desenvolvimento. Principalmente se a habilidade está baixa na medição do quociente emocional. O importante para o processo de desenvolver inteligência emocional é continuar tentando, não necessariamente sempre ter êxito nas tentativas

Exemplo: Controle de Impulsos

Alguém pode estar trabalhando no seu controle de impulsos. Paradoxalmente, a paciência necessária para trabalhar esta habilidade falta em quem precisa desenvolvê-la. Uma pessoa se propôs a evitar reagir negativamente nos casos em que esteja em desacordo com algo que tenha acontecido. Em outras palavras: tem acessos de raiva se algo não for feito ao seu modo. 5 minutos depois de tomar a decisão, algo inesperado acontece e apesar de identificar o gatilho, não resiste e fica possessa, esbraveja e reage muito mal. Depois disso, fica ainda mais irritado pelo fato de ter perdido o controle. É importante destacar que, para desenvolver esta habilidade, o mais importante foi feito, que é identificar o gatilho antes de reagir. Com a prática esta pessoa conseguirá se controlar mais e mais. Basta seguir tentando.

10 – Vale a pena

Daniel Goleman citou que 20% dos fatores que levam ao sucesso estão relacionados ao Quociente intelectual ( o que deixa 80% para o resto, inclusive inteligência emocional). Nós vivenciamos constantemente a evolução e a melhora de bem-estar que as pessoas que desenvolvem inteligência emocional apresentam. Desenvolver inteligência emocional implica em aceitar melhor a si mesmo, lidar melhor com o seu exterior e também ter melhores relacionamentos. Quando isso ocorre, o nível de satisfação com a vida aumenta e muito.

A caminhada com certeza vale a pena e, quanto mais você desenvolve inteligência emocional, mais fácil fica desenvolvê-la ainda mais.

Você está pronto para desenvolver ainda mais sua inteligência emocional?