fbpx

Alguns posts tem o papel de se conectar com alguns sentimentos que todos nós temos guardados e precisamos liberar. Eles falam sobre como todos enfrentamos dificuldades, temos conflitos, dúvidas.

Outros, como este, são uma chamada para ação. Servem para motivar a agir para mudar algo que sabemos que não está adequado. Aqui vamos tratar uma aplicação específica da automotivação: a que é necessária para que consigamos mudar de hábitos

Já falamos anteriormente sobre a importância de virar a chave emocional e de como esta habilidade (esforçar-se para se sentir bem quando as coisas não estão tão bem) é importante para o bem-estar.

Com a nossa motivação é a mesma coisa.

Às vezes ficamos esperando que algo ou alguém venha e nos chame para a ação, que nos diga o que precisamos ouvir, que faça por nós o trabalho de criar um estado mental propício para a ação. Às vezes ficamos apenas esperando e nada acontece…

E ai é que deve entrar em ação a sua capacidade de se motivar. Na prática isso significa criar temporariamente uma condição emocional que permita que você parta para uma ação que vai contribuir para o que você precisa realizar. Não se trata de ter vontade de fazer algo ou de esperar pela vontade, trata-se de criar uma brecha em pensamentos procrastinadores e autossabotadores para iniciar a ação necessária.

Dê ao novo hábito uma chance: Comece!

No final do dia, se sua capacidade de se motivar está funcionando, você terá feito tanto as coisas que queria fazer quanto as coisas que não sentia tanta vontade assim de fazer mas que eram necessárias.

No longo prazo, esta capacidade permite grandes realizações por que permite que a pessoa vá além da motivação inicial causada pela novidade. Permite que ela persista e continue fazendo o necessário mesmo quando não se sente tão a fim.

Por exemplo, uma pessoa que queira criar o hábito de fazer exercícios físicos pode ficar motivada a ir para a academia todos os dias na primeira semana em que aderiu ao plano. Depois, se sua capacidade de se motivar não entrar em ação, na segunda semana ela irá menos vezes, na terceira ainda menos e em algum momento, irá para a academia pedir o cancelamento do plano.

Conseguir se motivar neste contexto significa conseguir olhar para todos os pontos abaixo:

1 – Entender o que você precisa mudar na sua rotina e no seu contexto para facilitar a mudança de hábitos.

No exemplo que acabei de citar, isso significa entender e admitir que criar um novo hábito é difícil e tentar se cercar ao máximo de mecanismos que facilitem a manutenção do novo hábito, principalmente depois que a motivação inicial tenha passado.

Planejamento é tudo quando se trata de criar novos hábitos

2 – Conseguir ganhar a discussão interna quando os hábitos antigos quiserem voltar a dominar.

Hábitos são para o nosso cérebro uma economia de energia. O que nós temos como hábito não exige pensamento e reflexão e isso economiza energia. Pode ter certeza que, se você começa a mudar um hábito, sua mente vai brigar contra a mudança e tentará dissuadi-lo de maneiras muito convincentes a você não mudar um hábito.

3 – Conseguir se congratular pelos progressos obtidos, sem cair novamente na zona de conforto.

Ou seja, não dá para comemorar 2 meses ininterruptos de exercícios físicos diários concedendo-se uma folga de 2 semanas nos exercícios. Mas se não se permitir comemorar resultados parciais, tornará o processo muito mais difícil.

4 – Entender quais motivadores internos são os mais eficientes para mantê-lo no rumo.

É fato, você precisará pensar em argumentos que contribuam e ajudem a motivá-lo a continuar com a jornada, principalmente se tiver um sobressalto no caminho. Digamos que depois de 2 semanas fazendo exercícios como você queria, de repente perde a sequência e falta por dois dias seguidos. E ai, o que prevalece? A vontade de mudar um hábito ou o desânimo de ter falhado duas vezes recentemente? Nessas horas os seus motivadores internos precisam agir para que você volte para a execução.

No fim das contas, a capacidade de motivar a si próprio é igual banho mesmo, você toma hoje sabendo que amanhã terá que tomar de novo. E tudo bem, e assim mesmo.

E você, acha que é possível conseguir se automotivar todos os dias?

Grande abraço e até a próxima!