fbpx

Por acaso nas últimas semanas você:

  • Se sentiu desconectado de uma pessoa querida por suas posições políticas e opiniões?
  • Deixou de ler uma notícia importante por sentir-se desanimado com o tema exposto?
  • Se sentiu tentado a ou entrou em uma discussão com um desconhecido, tentando forçar o seu ponto de vista pessoal?
  • Se sentiu provocado a partir para uma discussão, porque uma pessoa tentou impor a você o seu ponto de vista?
  • Sentiu-se sem poder e autonomia para se expressar ou mudar coisas que considera erradas?
  • Ficou desesperançoso ou tentar projetar como será o futuro próximo?
  • Assumiu uma posição mais forte e determinada do que normalmente faria sobre um assunto que não tem uma importância muito alta para você?
  • Tornou públicas opiniões fortes que surgiram em um momento de alta emoção?

Se respondeu “sim” a pelo menos uma das perguntas, então talvez você possa estar sob uma carga emocional e estresse alto por causa deste inédito processo eleitoral.

Não se preocupe, aqui NÃO vou falar de política. Vou explicar porque este cansaço aparece e o que pode ser feito para se livrar dele (ou pelo menos, diminuí-lo).

Primeiro, precisamos entender:

De onde vem o bem-estar emocional?

Ele é um estado em que nos sentimos calmos, equilibrados e satisfeitos com o nosso presente. Todos os itens que surgiram no começo do artigo mexem seriamente nos pilares que sustentam o nosso bem-estar:

  • Sensação de segurança
  • Relacionamentos e aceitação social
  • Necessidade de harmonia, respeito e moralidade
  • Autorrespeito
  • Realizações e Propósito

Sem contar que, quando nos sentimos ansiosos ou com raiva, até nossos padrões de alimentação e respiração são afetados.

Cada vez que nos deparamos com cenário indesejado, quando vemos uma pessoa que estimamos/respeitamos se expondo de maneira contrária a que gostaríamos que fizessem ou quando nós mesmos nos sentimos desrespeitados ou não ouvidos, o nosso nível de bem-estar diminui muito. Ao invés de nos sentirmos bem, nos sentimos revoltados, impotentes, angustiados e por ai vai.

Muitas pessoas já chegaram a um nível de estresse e fadiga emocional maior do que seria normal ou saudável. E se você sente que este é o seu caso, aqui vão

Algumas dicas do que pode ser feito:

1 – Dê vazão às suas emoções.

Escreva um diário, faça exercício físico, grave uma mensagem de áudio para si mesmo ou use formas alternativas com a que recomendo neste artigo – cante músicas. Você vai ver que quando começa a colocar para fora, outras coisas surgem e daí vem uma enxurrada de coisas que você nem sabia que estava segurando.

2 – Respire fundo antes de entrar em conflitos.

Avalie se vale a pena pelo seu próprio bem, se engajar em discussões. Elas são necessárias muitas vezes, por isso recomendo apenas que reflita antes de começar. Respire 10 vezes ou até melhor, ligue um cronômetro, deixe passar 3 minutos e depois volte ao assunto. Você verá que a impulsividade vai baixar bastante. Claro, sempre há o caso de ter que lidar com pessoas difíceis, neste caso, se quiser saber um pouco sobre como lidar, aqui está um artigo que pode ajudar.

3 – Teste sua realidade.

Às vezes a angústia não vem da realidade, ela vem da percepção que temos dela ou da projeção futura negativa que criamos ao pensar em coisas desagradáveis. Avalie de fato o que você está observando e separe o que é realidade e fato do que é julgamento e imaginação. Não entre de maneira automática em sentimentos de grupos ou de pessoas que estão emocionalmente alteradas.
Se quiser saber mais sobre teste de realidade, veja este artigo, mas o essencial é, se estamos emocionalmente carregados por inúmeras situações, também trazemos percepções de outros lugares e acontecimentos para o que estamos avaliando e isso prejudica observar a realidade de maneira objetiva.

4 – Veja o lado bom das coisas.

A mesma capacidade que temos de enxergar o que está errado e indo mal pode ser usada para enxergar o que está certo e indo bem. Focar no negativo pode ser necessário por um tempo mas ficar demais focando somente no que está “errado” ou em desacordo com suas opiniões estressa apenas a você. Passe um tempo focando nas coisas boas que estão à sua volta. Desenvolva um pouco de otimismo para ter mais resiliência. Como diz este artigo aqui, escolha o otimismo.

5 – Pratique autogentileza.

Importar-se, ter pontos de vista, defendê-los, assumir uma posição é importante e vai continuar sendo. Mas o processo fica melhor se você encara ele de maneira consciente e NÃO emocionalmente desenfreada. Avalie quais impactos o estresse e os estímulos exteriores estão tendo em você e, se avaliar que não estão sendo saudáveis, isole-se por um tempo, descanse, dê-se um tempo. Com o descanso, você se sentirá melhor e conseguirá fazer o que quer de maneira mais eficaz.

É isso ai!

E você, se sente emocionalmente cansado?

Compartilhe conosco!